Me acompanhe pelo e-mail

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Fotógrafos cristãos têm direito de negar serviço em casamento gay

 

 

Imagem: Divulgação

 

Uma pesquisa Rasmussen Reports feita pela internet revelou que a maioria dos americanos acreditam que fotógrafos cristãos devem poder negar um pedido para trabalhar em casamentos de casais de mesmo sexo

Para a principal pergunta 80% dos entrevistados responderam que sim. “Suponha que um fotógrafo cristão de casamentos tenha profundas crenças religiosas contra o casamento homossexual. Se ele recebe pedido para trabalhar para uma cerimônia de mesmo sexo, o fotógrafo pode ter o direito de dizer não?”. Somente 8 % disseram “não” e 6 %  ficaram no meio termo.

Entre os cristãos evangélicos 97% disseram que sim e 92% dos que vão à igreja semanalmente responderam o mesmo.  A pesquisa revela ainda que 88 % dos ateus concordaram que o fotógrafo tem o direito de dizer não.

Os Relatórios de Rasmussen também encontraram que a maioria dos americanos cerca de 54%, acreditam que um ateu dono de restaurante não deve ter o direito de recusar clientes que vistam camisetas estampadas com “Jesus Salva”. Somente 35% responderam sim para a questão. Mais ateus (54%) do que cristãos evangélicos (49%) se opõem ao direito do dono de negar o serviço.

“Em tudo, em quase todas as pesquisas que fazemos, as pessoas tem um profundo respeito pelos direitos religiosos – eles não acreditam que as pessoas devem ser forçadas a agirem contra suas crenças,” disse o fundador e CEO Scott Rasmussem em entrevista ao The Christian Post.

 

Fonte: GH

TCU gastou R$ 1 milhão com serviço de saúde para ministros

 

 

Imagem: Divulgação

 

O Tribunal de Contas da União (TCU) desembolsou mais de R$ 1 milhão para ressarcir as despesas médicas de seus 13 ministros em 2011 e 2012, valor 67,4% superior ao previsto em duas portarias do próprio tribunal que estipularam o “montante máximo destinado ao ressarcimento das despesas com assistência à saúde das autoridades”. Cada portaria previu um gasto máximo de R$ 300 mil por ano. O Globo obteve, por meio da Lei de Acesso à Informação, os valores gastos pelo TCU.

Em 2011, os ministros receberam reembolsos que somaram R$ 452,5 mil. No ano seguinte, os gastos subiram para R$ 552,1 mil, um aumento de 22%. O TCU sustenta que não houve estouro da previsão de gastos com a saúde dos ministros. Segundo a explicação do órgão, as portarias com as previsões de R$ 600 mil nos dois anos se referem a despesas que não são reembolsadas pelo plano de saúde. Gastos dos ministros referentes ao ressarcimento “parcial” do valor gasto com o plano foram computados em outra dotação orçamentária, conforme o TCU, “a mesma que atende aos servidores”. “Há dois limites orçamentários para custeio de despesas com assistência à saúde”, cita a assessoria de imprensa do órgão.

Em decisão recente, relatada pelo ministro Raimundo Carreiro, o plenário do TCU entendeu que a razão das despesas com saúde tem caráter privado e não deve ser divulgada por meio da Lei de Acesso à Informação. Carreiro é o ministro que mais teve despesas com saúde ressarcidas pelo tribunal. Os reembolsos foram de R$ 65,3 mil em 2011, R$ 102 mil em 2012 e R$ 10 mil nos dois primeiros meses deste ano. No ano passado, os gastos de Carreiro representaram mais do que o dobro do valor gasto pelo segundo ministro com mais despesas com saúde, Walton Alencar, que recebeu R$ 50,6 mil.

O chefe de gabinete de Carreiro, Ary Braga Filho, disse que as explicações sobre os gastos do ministro deveriam ser dadas pela Secretaria Geral de Administração do TCU e que Carreiro não comentaria os reembolsos. Segundo o chefe de gabinete, os “gastos com doença são de foro íntimo”. No domingo, o jornal O Estado de S. Paulo mostrou que o ministro conseguiu na Justiça alterar sua data de nascimento, de setembro de 1946 para setembro de 1948. O “rejuvenescimento” estende por dois anos a permanência de Carreiro no TCU e permite que ele assuma a presidência do órgão no biênio 2017-2018.

O TCU ressarce “despesas de grande vulto”, cujo valor seja igual ou superior a dez vezes a mensalidade do plano de saúde. A assistência pode incluir dependentes como cônjuges, filhos solteiros com idade entre 18 e 24 anos, e pais.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: O Globo

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Henrique Alves bancou jantar de partido com dinheiro publico pago por nós.

 

Imagem: Reprodução (Beto Oliveira/Ag. Câmara)

 

Os R$ 28.400 que a Câmara dos Deputados usou para bancar um jantar do PMDB na semana passada, ultrapassam o limite de R$ 4.000 reais permitido para gastos com “suprimento de fundos”, como a despesa foi classificada (veja nota abaixo). Essa modalidade de gasto é usada quando a despesa é emergencial e não há tempo hábil para a realização de licitação. A assessoria do presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou que ele deu autorização expressa para efetuar a despesa, o que permitiria um pagamento acima do limite previsto. A norma da Câmara, no entanto, não prevê essa exceção.

A regra que disciplina o uso dos suprimentos de fundos na Câmara consta da portaria 154, de 1997. A medida estabelece que esses gastos – pequenas despesas cotidianas autorizadas sem necessidade de consulta de preços – só podem chegar aos R$ 4.000.

Em nota, a assessoria de imprensa de Henrique Alves apresentou a seguinte justificativa para o gasto de 28 400 reais: “O Ministério da Fazenda, por seu turno, estabelece, no § 3º do artigo 1º da Portaria 95/2002, que, excepcionalmente, a critério da autoridade de nível ministerial, podem ser concedidos suprimentos de fundos em valores superiores ao limite de R$ 4.000 reais”.

O texto também menciona uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) que ratificou a portaria. Mas a regra do Ministério da Fazenda, que se refere a “autoridade de nível ministerial”, vale apenas para os órgãos do Executivo e não poderia ser aplicada ao Legislativo. A decisão do tribunal não alterou isso.

A Controladoria-Geral da União, consultada pelo site de VEJA, também informou que as regras estabelecidas pelo Ministério da Fazenda não valem para o Legislativo.

Professor da Universidade de Brasília (UnB) e especialista em direito administrativo, Mamede Said afirma que a justificativa apresentada pela Câmara não é válida. “É inconcebível achar que a existência de uma portaria do Ministério da Fazenda justifica a aplicação da regra pelo Legislativo”, afirmou. “Teria de haver um ato específico da Câmara”, disse.

Normalmente, a modalidade de suprimento de fundos é usada para despesas de pequeno porte, como de material de escritório: o servidor pode receber o dinheiro de forma antecipada para custear a despesa ou pedir ressarcimento depois do gasto. No caso do jantar da bancada do PMDB, a servidora Bernadette Amaral obteve os 28 400 reais antes do evento.

A própria Bernadette Amaral Soares, administradora da residência oficial da Câmara e responsável pela despesa, nunca havia gasto mais do que o teto: ela fez cinco compras de 4 000 reais e uma de 1 813 reais neste ano, de acordo com a ONG Contas Abertas.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Nota de jantar realizado na residência oficial da Câmara dos Deputados

Nota de jantar realizado na residência oficial da Câmara dos Deputados

Fonte: Veja

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Famosa modelo evangélica posará nua para a edição de agosto da revista Playboy

 

image

A revista masculina Playboy anunciou que a capa de sua edição de setembro será a modelo Aline Franzoi, que acumula em seu currículo desde ensaios sensuais e participação na novela Guerra dos Sexos, até uma atuação como ring girl do Ultimate Fighting Championship (UFC).

A surpresa não está no fato de a modelo não ser atriz ou dançarina, como as mulheres que usualmente ocupam a capa da revista, mas sim, no fato de Aline ser evangélica.

Em seus perfis nas redes sociais, a modelo costuma publicar mensagens motivacionais e de fé. Anteriormente, havia dito que jamais posaria nua, apesar de já ter estrelado um ensaio sensual para a revista VIP.

Quando foi escolhida para ser ring girl do UFC na edição brasileira do evento, Aline Franzoi rebateu as críticas afirmando que “Deus olha o coração”. Agora, com o convite da principal revista masculina do país, a jovem de 20 anos resolveu aceitar a proposta. “Vou fazer tudo o que eu achar que devo”, afirmou a modelo.

“Sou evangélica e uso meu Facebook para dizer o quanto Deus foi e é poderoso em minha vida. E, afinal, o que tem de errado? É muito relativo o que é certo e errado, concilio não só essa nova carreira, como a carreira de modelo também, pois, na minha concepção, Deus olha o nosso coração e a nossa intenção”, afirmou ao portal Uol.

 

Por Tiago Chagas, para o Gospel+