Me acompanhe pelo e-mail

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Lista dos que não votaram sobre a cassação de Donadon; confira

Apesar de ter sido cassado em votação aberta por larga margem de votos, 210 a mais que o necessário, o agora ex-deputado-presidiário Natan Donadon (sem partido-RO) teve, na prática, 45 votos a seu favor: 15 deputados que marcaram presença mas não votaram, 29 que nem apareceram, e uma abstenção. O presidente da Câmara não vota. Como são necessários 257 votos para aprovar a perda de mandato, ausências e abstenções têm efeito contrário à cassação. A maioria dos que marcaram presença mas não votaram alegou compromissos políticos em outros estados e disse que, se estivesse presente, votaria pela cassação.
Veja abaixo a lista dos deputados que marcaram presença na Câmara nesta quarta-feira (12), mas não votaram na sessão que cassou o mandato do deputado presidiário Natan Donadon (Rondônia). Confira também os parlamentares que não compareceram à Câmara.
Deputados que foram ao Congresso, mas não votaram:
— Lael Varella (DEM-MG)
— Amir Lando (PMDB-RO)
— Aníbal Gomes (PMDB-CE)
— Júnior Coimbra (PMDB-TO)
— Manoel Júnior (PMDB-PB)
— Mário Negromonte (PP-BA)
— Renato Andrade (PP-MG)
— Magda Mofatto (PR-GO)
— Wellington Roberto (PR-PB)
— Zequinha Marinho (PSC-PA)
— Vilmar Rocha (PSD-GO)
— Rubens Otoni (PT-GO)
— Paes Landim (PTB-PI)
— Genecias Noronha (SDD-CE)
— Paulo Pereira da Silva (SDD-SP)
Deputados que não foram ao Congresso:
— Jonathan de Jesus (PRB-RR)
— Luiz Carlos (PSDB-AP)
— Vinicius Gurgel (PR-AP)
— Eucione Barbalho (PMDB-PA)
— Nilson Pinto (PSDB-PA)
— Gladison Cameli (PP-AC)
— Márcio Bittar (PSDB-AC)
— Talma Turgo Lima (PT-AC)
— Zé Vieira (PROS-MA)
— Antônio Balhmann (PROS-CE)
— Joé Linhares (PP-CE)
— Benjamin Maranhão (SDD-PB)
— Sérgio Guerra (PSDB-PE)
— Almeida Lima (PMDB-SE)
— Liliam Sá (PROS-RJ)
— Camarinha (PSB-SP)
— Carlos Roberto (PSDB-SP)
— Devanir Ribeiro (PT-SP)
— Paulo Maluf (PP-SP)
— William Dib (PSDB-SP)
— Carlos Bezerra (PMDB-MT)
— Iris de Araújo (PMDB-GO)
— Akira Otsubo (PMDB-MS)
— Takayama (PSC-PR)
— João Lyra (PSD-AL)
— Walter Feldman (PSB-SP)
— Colbert Martins (PMDB-BA)
— João Lyra (PSD-AL)
Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.
Fonte: O Globo


sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Pilotos de jatinho de Justin Bieber usam máscara contra maconha

 

Imagem: Divulgação

 

Os pilotos do jatinho de Justin Bieber teriam usado máscaras de oxigênio para não inalar a fumaça de maconha que pairava pela aeronave, na última sexta-feira (31/01), durante o voo feito pelo cantor entre Toronto, no Canadá, e Nova Jersey, nos Estados Unidos.

Um dos pilotos teria pedido várias vezes para que o cantor e sua equipe parassem de fumar na aeronave, segundo reportagem da rede americana NBC News. Como seu pedido não foi atendido, ele tomou a iniciativa de usar uma máscara, no que foi seguido pelo copiloto, para não correr o risco de inalar a “marofa” e falhar em um possível teste toxicológico – ou, pior, na condução do avião.

Bieber e seu pai também foram acusados de assediar a aeromoça durante o voo, que foi forçada pelo comandante a permanecer perto da cabine para evitar o comportamento “extremamente abusivo” dos dois. À reportagem, a mulher afirmou que não trabalharia mais “em nenhum voo com eles”.

Assim que o jatinho pousou em Nova Jersey, funcionários da alfândega do aeroporto de Teterboro sentiram um forte cheiro de maconha e decidiram revistar a aeronave. Agentes especializados e cães farejadores foram usados nas buscas, mas, surpreendentemente, as autoridades não encontraram indícios concretos da droga. Apesar disso, o cantor canadense foi interrogado por cinco horas até ter a sua entrada no país autorizada.

Fonte: Veja

Mesmo para cristãos, o Facebook é mais popular que a Bíblia

 

Mesmo para cristãos, o Facebook é mais popular que a Bíblia

 

 

Estatísticas sempre estão sujeitas a questionamento, em especial por que dependem muito da metodologia usada. Enquanto alguns países apreciam esse tipo de análise, outros não dão a ela o valor necessário.

Um levantamento publicado esta semana nos Estado Unidos mostra que a rede social Facebook chegou ao seu décimo aniversário com um bilhão de usuários registrados. Contudo, a Associated Press afirma que são 757 milhões de “usuários ativos”, ou seja, pessoas que realmente usam a rede. Cerca de 44 milhões desses usuários ativos são brasileiros.

Dados de uma pesquisa divulgada em 2013 mostram que pouco mais 40% dos americanos usam o Facebook diariamente. Em comparação, apenas 15% dos americanos leem a Bíblia diariamente, embora seja o livro mais lido dos EUA.

Um levantamento do Instituto Barna feita no ano passado indica que 26% dos cristãos leem suas Bíblias quatro ou mais vezes por semana.

De muitas maneiras algumas estatísticas aproximam o Brasil dos EUA. Enquanto a terra do tio Sam, onde a rede surgiu, ainda seja onde mais pessoas acessem o Facebook, o Brasil é o 3º no número de usuários (atrás da Índia), mas o segundo em acessos diários. Os internautas brasileiros passam 36% do seu tempo online nas redes sociais. O Facebook lidera, com o Youtube em segundo.

O Instituto Pró-livro, que avalia a intensidade, forma, motivação e condições de leitura da população brasileira divulgou uma pesquisa em 2012, mostrando que nada menos que 90% das brasileiros afirmam possuir uma Bíblia em casa. As Escrituras ainda são o livro mais vendido e mais lido no país, mas apenas 16% afirmam que a leem diariamente.

O Brasil também disputa com os Estados Unidos o primeiro lugar na impressão de Bíblias. Os EUA durante muitos anos era o maior, perdendo o posto para o Brasil posteriormente. Atualmente, nosso pais produz uma Bíblia (ou Novo Testamento) a cada três segundos, em média. É bem verdade que, em números absolutos, a China é o maior produtor, mas sua venda não é liberada em solo chinês.

O Instituto LifeWay Research realizou um amplo estudo chamado “Discipulado Transformador”, que tinha como objetivo avaliar o crescimento espiritual das pessoas que frequentam a igreja evangélica.

A pesquisa constatou que 90% dos fiéis afirma que desejam “agradar e honrar a Jesus em tudo o que faço”, e 59% concordam com a declaração: “Durante o dia eu penso em algum momento sobre as verdades bíblicas.” No entanto, quando perguntado quantas vezes lê a Bíblia por iniciativa própria (não durante um culto):

Tabela Discipulado Transformador

Levando em consideração todos esses números e o fato de que o brasileiro tem a maior média de permanência no Facebook do mundo, com 8 horas por mês, a conclusão é óbvia. Mesmo para os cristãos Facebook é mais popular que Bíblia.

Ao longo dos anos surgiram várias “redes sociais cristãs”, que se propunham, entre outras coisas, em aproximar as duas coisas. Algumas, inclusive, foram criadas por brasileiros, como a Wittle, a AnSocial ou a mais recente, Hizby. Por enquanto, nenhuma delas teve muito sucesso em ajudar os cristãos a equilibrar o tempo gasto na frente do computador e na frente da Bíblia.

Fonte: Gospel Prime

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Desembargador prega o fim da imunidade tributária às igrejas para combater “riqueza visível no bolso dos dirigentes”

 

Desembargador prega o fim da imunidade tributária às igrejas para combater “riqueza visível no bolso dos dirigentes”

O crescimento dos evangélicos no Brasil e os constantes escândalos financeiros que pastores neopentecostais protagonizam estão tornando-se o principal motivador da ideia de que a imunidade tributária das igrejas deve ser banida.

A opinião, controversa por, em tese, ferir parte do direito à liberdade religiosa, tem crescido entre especialistas do assunto, que entendem que tal dispositivo constitucional tem sido usado de forma fraudulenta por alguns líderes religiosos.

O desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo Carlos Henrique Abrão partilha deste pensamento e publicou artigo no site Consultor Jurídico defendendo o fim da imunidade às igrejas. Em seu texto, Abrão afirma que “o conceito hermético constitucional sobre a ampla e irrestrita imunidade tributária dos templos religiosos e atividades congêneres precisa urgente e rapidamente ser revisto”.

Para o desembargador, “não se justifica mais essa parafernália no modelo de expansão do neoprotestantismo e do ecumenismo cotidianos”, pois a sociedade tem assistido “ao crescimento desmesurado de pseudosseitas religiosas, as quais mais enriquecem seus pastores do que o próprio rebanho”.

O tom crítico se estende à Igreja Católica, que na opinião do desembargador, “sem qualquer dúvida, também quando explora atividade econômica, ou de conteúdo empresarial, igualmente sofreria tributação” caso a legislação fosse revista.

“O conceito largo da imunidade fez desenvolver riquezas e obras absurdas de várias entidades, as quais competem entre si para colocar piso de mármore e outras riquezas exteriores, já que aquelas interiores estão nos bolsos de seus dirigentes”, dispara Abrão.

De acordo com o desembargador, a própria Receita Federal já tem se antecipado ao clamor por mudanças e buscado por fraudes entre os líderes religiosos: “O Fisco vem se mostrando sensível na radiografia e monitoramento das entidades associativas religiosas, de tal modo que o conceito constitucional utiliza o viés do templo, mas existem centenas ou milhares deles espalhados pelo país, além de livros, jornais e revistas, tudo em nome do bom pastor, no caso, o chefe religioso da seita, que blinda seu patrimônio e tudo o faz naquele em quem confia, o imposto de renda sem incidência”.

O princípio de imunidade tributária para que a entidade religiosa se sustente sem o ônus dos impostos já não faz sentido, segundo Abrão, quando a instituição se porta como uma empresa qualquer num mercado com ferozes concorrentes: “A imunidade plena ou alíquota zero para essas atividades não reprime os desvios e muito menos a ganância que ostentam seus líderes, mormente com rádios e canais de televisão, tudo sob o aspecto da não concorrência, já que estão, em tese, isentos ou mais fortemente imunes”, observa o desembargador.

Em sua conclusão, Carlos Henrique Abrão faz referência às palavras de Jesus para argumentar favorável ao fim da imunidade tributária: “Essa riqueza visível aos olhos de muitos e invisível para fins de tributação acaba gerando uma distorção de natureza da capacidade contributiva, fazendo com que os assalariados recolham mais, enquanto outros vagam pelos caminhos religiosos, sob a capa da absoluta certeza de que suas obras pertencem a Deus, e não a Cesar, no conceito jurídico tributável, com o que não podemos simpatizar”.

Não deixe de compartilhar no Facebook esta mensagem clicando no link abaixo.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Ivete Sangalo publica saudação a Iemanjá e recebe críticas de cristãos

 

 

Ivete Sangalo publica saudação a Iemanjá e recebe críticas de cristãos

No último domingo (2) se comemorou o Dia de Iemanjá e a cantora Ivete Sangalo publicou uma foto em homenagem à “deusa das águas” e acabou recebendo diversas críticas de cristãos que seguem seu Instagram.

Junto com a foto a cantora escreveu: “Salve Iemanjá!!!”. Seguidora de religiões afro-brasileiras, Ivete nunca escondeu sua crença, mas dessa vez sua declaração de fé teve respostas imediatas.

“Não terás outros deuses além de mim. Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra”, escreveu uma internauta citando trechos do livro de Êxodo.

Mas além de críticas como “tá repreendido…só Jesus na causa!” e “minha mãe nunquinha! Tá repreendido. Só tenho um pai, Deus criador dos céus e da terra”, a cantora também recebeu apoio.

Ivete Iemanjá

“Salve! Vocês que não concordam com a crença das religiões afro, estão em seu direito, mas lembrem-se, respeitar é bom, eu particularmente não sigo essas crenças, mas seus adeptos têm meu respeito”, disse outro internauta.

“O povo ignorante. Cada um com sua fé, vamos respeitar a religião do próximo, ninguém precisa aceitar, mas tem a obrigação de respeitar! Salve Yemanja, Ori ôôôô!”, escreveu um rapaz que também é seguidor de religiões afro.

“O povo que é de outras religiões arruma demônio em tudo né acho que eles deveriam cuidar de suas vidas ao invés de criticar a crença dos outros”, disse uma jovem.

Fonte: Gospel Prime

Xuxa usa rede social para pedir orações por sua mãe, em estado grave por conta de pneumonia: “Peça a Deus para minha Aldinha melhorar”

 

Xuxa usa rede social para pedir orações por sua mãe, em estado grave por conta de pneumonia: “Peça a Deus para minha Aldinha melhorar”

A apresentadora Xuxa Meneghel usou sua página no Facebook para pedir orações por sua mãe, que está internada numa unidade de terapia intensiva do Hospital Barra D’or, no Rio de Janeiro (RJ).

Dona Alda, como é conhecida a mãe da apresentadora, está em internada por causa de uma pneumonia que foi agravada pelo Mal de Parkinson. Em tratamento desde o dia 14 de janeiro, dona Alda está em estado grave.

“Oi gente! Desculpa eu estar tão afastada de vocês e entrar aqui e pedir uma coisa, mas é que é muito importante. Então… até mesmo que você não goste de mim, por favor, eleve seus pensamentos agora e peça a Deus pra minha Aldinha melhorar, sei que com a ajuda de vocês ela vai conseguir sair dessa. Obrigada desde já e que Deus abençoe cada um de vocês (sem exceção) Beijos X”, escreveu Xuxa.

 

O estado de saúde da mãe da apresentadora é delicado, e as visitas tem sido restritas. De acordo com informações do G1, Xuxa tem passado a maior parte do tempo com a mãe no hospital, que teria providenciado um leito improvisado para que a apresentadora possa ficar o maior tempo possível com dona Alda no quarto onde ela está internada.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Rio de Janeiro investirá R$ 1 milhão na construção de “macumbódromo”

 

 

Rio de Janeiro investirá R$ 1 milhão na construção de “macumbódromo” 

 

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Rio de Janeiro vai criar um espaço exclusivo para rituais de umbanda e candomblé.

O projeto tem como objetivo oferecer um local adequado para a realização desses rituais que são feitos em áreas urbanas causando grande polêmica com seguidores de outras crenças e também com ecologistas, como mostrou uma reportagem da revista Isto É.

Para a construção do “macumbódromo” a Secretaria deve investir R$ 1 milhão. O espaço terá 4.500 m² e estará localizado na Curva do S, no Alto da Boa Vista, zona Norte do Rio de Janeiro.

Nesse local serão construídos 15 recantos decorados com totens cada uma com as características dos orixás, também haverá duas entradas com placas orientando o comportamento dos visitantes, além de 2 banheiros públicos.

O secretário da pasta, Carlos Minc, declara que além do “macumbódromo” outras duas áreas do Rio de Janeiro receberão espaços religiosos. “Dessa forma será possível (aos praticantes) fugir de santuários e parques privados que cobram pela entrada para a prática de cultos”, disse ele.

A Curva do S já é usada por seguidores da umbanda e do candomblé para realizar trabalhos, o problema é que no dia seguinte o espaço fica sujo e ecologistas reclamando do impacto negativo que isso causa no meio ambiente.

No projeto da construção do “macumbódromo” a prefeitura irá pavimentar o espaço, para impedir incêndios, e ainda uma central de tratamento de resíduos. As obras começam agora em fevereiro.

A Mãe Fátima Damas, presidente da Congregação Espírita Umbandista do Brasil (CEUB), apoia a ideia. “O reconhecimento de um espaço para a gente por parte das autoridades acaba com aquela ideia distorcida de que estamos fazendo algo irregular”, disse ela à Isto É.

Mas há outros religiosos que estão desconfiados, como é o caso de Dayse Freitas, diretora cultural da Federação Brasileira de Umbanda. “Apoiamos, desde que não encurralem a gente em um canto cercado e pequeno, sem policiamento”, disse ela.

A antropóloga do departamento de ciências sociais da PUC-Rio, Sônia Giacomini, também comentou o assunto dizendo que a criação do “macumbódromo” não deve proibir que esses religiosos façam suas oferendas em outros lugares.

“Essa permissão só não pode significar a impossibilidade de uso de outros espaços públicos para rituais”, afirmou.

Fonte: gospelprime

MMA não é compatível com os valores cristãos, diz bispo Walter McAlister

 

 

MMA não é compatível com os valores cristãos, diz bispo Walter McAlister 

 

Ao contrário de muitos evangélicos, e até mesmo de líderes evangélicos, o bispo Walter McAlister, da Igreja Nova Vida, não acredita que o MMA seja compatível com os valores cristãos.

Em um vídeo postado em seu canal no Youtube ele comenta sobre o tema descrevendo a luta como uma “pancadaria onde dois homens entram em uma jaula e surram um ao outro até que um fique desacordado”.

McAlister sabe que há lutadores evangélicos e que tem pastores que apoiam as lutas, mas ele não concorda com essa modalidade esportiva. “É um culto à violência contra o próximo e me parece uma forma muito estranha de entretenimento”, diz.

“Creio que qualquer prazer que você tire da violência alheia é algo que não acha abrigo nos valores cristãos. Não concordo com isso.”

O bispo primaz da Igreja Nova Vida é praticante de surf, um esporte radical, mas não violento como ele mesmo pondera. “Eu sei que os lutadores de jiu-jitsu evangélicos e gospel vão me mandar cartas, vocês vão me xingar e vão dizer ‘ah bispo vai lá fazer tricô’, mas não é nada disso… Meu esporte é o surf. Ele é considerado um esporte radical tem uma certa violência no sentido de ser muito difícil fisicamente, muito vigoroso, mas não machuco ninguém, certamente não de propósito, já fui machucado, mas também não de propósito.”

McAlister chega a comparar o MMA com o circo dos gladiadores, dizendo que gostar desse esporte não é a mesma coisa que gostar de futebol, por exemplo. “A violência, embora esteja presente no futebol, não é o objetivo do jogo. O objetivo é marcar gol.”

“Agora o objetivo desse esporte (MMA) é causar a dor, é machucar é vencer o oponente lhe causando dano físico. Você pode dizer que existe lutadores que são cristãos, mas não compreendo isso e apesar de todos os argumentos que já ouvi, não me convenço que essa seja uma atividade cristã”, encerra ele.

Fonte: gospelmais

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Humilhação: sírios ‘comem grama’ para enfrentar fome

Pelo menos 15 palestinianos morreram de fome, desde setembro, num campo de refugiados sitiado na capital síria, DAMASCO, segundo a agência da ONU para os Refugiados Palestinianos

Pelo menos 15 palestinos morreram de fome, desde setembro de 2013, num campo de refugiados sitiado na capital Síria, segundo a agência da ONU para os Refugiados Palestinos

Moradores da sitiada cidade de Homs, na Síria, estão tão desesperados por alimentos que têm comido “qualquer coisa que cresça no chão, plantas, até grama”, disse à BBC o sírio Baibars Altalawy. A cidade está sob ataque das tropas do governo há mais de um ano e meio.

Segundo Altalawy, os moradores das partes sitiadas dependiam de alimentos, remédios e combustível enviados ao local quando o estado de sítio foi imposto. Mas esses suprimentos acabaram.

“Se não morrermos por conta dos bombardeios ou dos franco-atiradores, vamos morrer de fome ou frio”, disse Altalawy, 24 anos, via Skype, de Homs.

A população local esperava que a conferência em Genebra, que discute a guerra civil na Síria, levasse à criação de rotas seguras para que os moradores pudessem abandonar Homs –mas Altalawy afirma que, se o regime quisesse ajudar a população a escapar, já o teria feito.

O mediador da ONU, Lakhdar Brahimi, tenta obter acesso humanitário à área sitiada, mas os diálogos permanecem emperrados. A delegação síria exige garantias de que a ajuda humanitária americana não irá para “grupos terroristas armados” na cidade.

São 13 distritos, incluindo a histórica Cidade Velha de Homs, que estão “totalmente sitiados”, afirmou Altalawy.

“Há famílias, mulheres, idosos, feridos (ali), e muitos dos idosos precisam de medicamentos para doenças crônicas”, prosseguiu o sírio. “Não temos recebido nenhuma ajuda, tudo o que vemos diariamente são confrontos. Os rebeldes nas áreas sitiadas estão fazendo o que podem para impedir a entrada das tropas do regime”.

Fome

Na falta de alimentos, Altalawy diz que a população está colhendo qualquer tipo de planta ou grama. “Daí cozinhamos com água, usando madeira (para o fogo), porque não temos gás”.

Só que essas gramas e arbustos têm causado indigestão e febre em alguns moradores. “Alguns dias atrás, um idoso morreu seis horas após comer a grama”.

Altalawy afirma também que o bombardeio sobre a cidade não tem tido trégua – e que áreas de população civil estão sendo “diretamente alvejadas” pelas forças ligadas ao ditador Bashar al-Assad.

“Muitos morreram porque não temos equipamento ou medicamentos para salvar suas vidas. O pouco que sobrou de remédio está vencido, mas temos usado mesmo assim”.

Sem esperança

A situação médica é tão desesperadora quanto à situação humanitária, agregou. “Quando alguém é ferido, só o que podemos fazer é rezar a Deus para aliviar sua dor, porque não podemos tratá-lo ou sequer alimentá-lo”.

Além da população sitiada, 700 mil pessoas foram forçadas a se deslocar por conta dos conflitos, diz o sírio – muitas estão abrigadas em prédios públicos ou em acampamentos improvisados fora das áreas bombardeadas.

Há “pouca esperança” quanto aos sucesso das negociações em Genebra. “Estamos à beira da morte, e não há formas de tirar os doentes ou feridos (da cidade). E sabemos que qualquer pessoa que tente escapar do sítio será morta com certeza”.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: Folha/BBC Brasil