Me acompanhe pelo e-mail

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

MMA não é compatível com os valores cristãos, diz bispo Walter McAlister

 

 

MMA não é compatível com os valores cristãos, diz bispo Walter McAlister 

 

Ao contrário de muitos evangélicos, e até mesmo de líderes evangélicos, o bispo Walter McAlister, da Igreja Nova Vida, não acredita que o MMA seja compatível com os valores cristãos.

Em um vídeo postado em seu canal no Youtube ele comenta sobre o tema descrevendo a luta como uma “pancadaria onde dois homens entram em uma jaula e surram um ao outro até que um fique desacordado”.

McAlister sabe que há lutadores evangélicos e que tem pastores que apoiam as lutas, mas ele não concorda com essa modalidade esportiva. “É um culto à violência contra o próximo e me parece uma forma muito estranha de entretenimento”, diz.

“Creio que qualquer prazer que você tire da violência alheia é algo que não acha abrigo nos valores cristãos. Não concordo com isso.”

O bispo primaz da Igreja Nova Vida é praticante de surf, um esporte radical, mas não violento como ele mesmo pondera. “Eu sei que os lutadores de jiu-jitsu evangélicos e gospel vão me mandar cartas, vocês vão me xingar e vão dizer ‘ah bispo vai lá fazer tricô’, mas não é nada disso… Meu esporte é o surf. Ele é considerado um esporte radical tem uma certa violência no sentido de ser muito difícil fisicamente, muito vigoroso, mas não machuco ninguém, certamente não de propósito, já fui machucado, mas também não de propósito.”

McAlister chega a comparar o MMA com o circo dos gladiadores, dizendo que gostar desse esporte não é a mesma coisa que gostar de futebol, por exemplo. “A violência, embora esteja presente no futebol, não é o objetivo do jogo. O objetivo é marcar gol.”

“Agora o objetivo desse esporte (MMA) é causar a dor, é machucar é vencer o oponente lhe causando dano físico. Você pode dizer que existe lutadores que são cristãos, mas não compreendo isso e apesar de todos os argumentos que já ouvi, não me convenço que essa seja uma atividade cristã”, encerra ele.

Fonte: gospelmais

Nenhum comentário:

Postar um comentário