Me acompanhe pelo e-mail

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Após pressão de ativistas gays, ausência de livros do pastor Silas Malafaia no catálogo da Avon completa dois meses

 

Após pressão de ativistas gays, ausência de livros do pastor Silas Malafaia no catálogo da Avon completa dois meses

A ausência de livros do pastor Silas Malafaia e materiais da editora Central Gospel no catálogo da Avon completou dois meses. Por um longo período, os produtos ligados ao líder da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo fizeram parte dos produtos anunciados pela empresa de cosméticos em sua publicação.

A retirada dos livros do pastor Silas e demais publicações de sua editora aconteceu meses após ativistas gays iniciarem um movimento que ameaçava boicotar a Avon e seus produtos, caso esta não parasse de oferecer os livros da Central Gospel. A edição atual do catálogo traz outras publicações ligadas ao cristianismo, e pode ser conferida neste link.

Inicialmente, a Avon se recusou a retirar a oferta de livros do pastor e de sua editora, porém, na edição do catálogo publicada no dia 13/06 os materiais da editora Central Gospel já não estavam entre os produtos disponíveis para a venda.

Durante a divulgação dos fatos e apuração das informações, o pastor Silas Malafaia negou veementemente que a empresa tivesse retirado seus livros e demais publicações de sua editora do catálogo, e chegou a afirmar que sites cristãos de notícias estariam “comendo na mão de ativistas gays“.

Após a busca de informações por parte do Gospel+ junto à empresa, houve confirmação de que os produtos haviam sido retirados por tempo indeterminado. Com a divulgação dessa informação, o pastor Silas Malafaia divulgou nota em seu site afirmando que a medida tomada pela empresa era programada.

Na época, a Redação do Gospel+ consultou a assessoria de imprensa do pastor Silas Malafaia e da editora Central Gospel, para obter uma declaração, porém os contatos não foram respondidos.

Redação Gospel+

Teólogo afirma que “apóstolos contemporâneos” promovem “festival de misticismo antibíblico”. Leia na íntegra

 

Teólogo afirma que “apóstolos contemporâneos” promovem “festival de misticismo antibíblico”. Leia na íntegra

O surgimento de líderes evangélicos com o uso do título de “apóstolos” foi tema de um artigo do teólogo Ruy Marinho, colunista do Gospel+.

Em “Porque eu não creio em apóstolos contemporâneos”, Marinho afirma que não considera os líderes que utilizam esse título como verdadeiros apóstolos porque em seu entendimento, as doutrinas praticadas por eles não condizem com o evangelho.

-Muitos deles chegam a declarar novas revelações extrabíblicas, curas e milagres extraordinários, liberando palavras proféticas e unções especiais, vindas diretamente do “trono de Deus” para a Igreja. Seus seguidores constantemente ouvem o termo “decretos apostólicos”, dos quais afirmam que uma vez proclamados por um apóstolo, há de se cumprir fielmente a palavra profética, pois o apóstolo é a autoridade máxima da igreja, constituído diretamente por Deus com uma unção especial diferenciada dos demais membros – enumera Marinho.

O teólogo abre possibilidades para o movimento e afirma que “ou o ministério apostólico contemporâneo é uma realidade na Igreja nos últimos dias, ou estamos diante de uma grande distorção bíblica, na qual precisa ser rejeitada e combatida urgentemente”.

De acordo com o artigo de Ruy Marinho, “Paulo foi o último apóstolo comissionado por Jesus (At 9:1-6)”, e com base nesse versículo, afirma que “posteriormente, não encontramos base bíblica para afirmar que exista uma sucessão ou restauração ministerial de apóstolos. Todas as tentativas para justificar uma suposta restauração do ofício apostólico nos dias de hoje, partiram de interpretações alegóricas, isoladas e equivocadas de textos bíblicos”, argumenta.

Ruy Marinho menciona ainda a associação que fiéis podem fazer entre os líderes atuais que utilizam o título de apóstolo, e os 12 que foram designados pelo próprio Jesus durante seu ministério.

-Outro grande problema que encontramos no título de apóstolo nos dias de hoje é que, automaticamente as pessoas associam o termo aos 12 apóstolos de Jesus. Quem lê o Novo Testamento, identifica a grande autoridade atribuída ao ofício de apóstolo e consequentemente esta autoridade será ligada aos contemporâneos. Quem reivindica o título de apóstolo, biblicamente está tomando para si os mesmos ofícios dos apóstolos comissionados por Jesus, colocando as próprias palavras proferidas ou escritas em pé de igualdade e autoridade dos autores do Novo Testamento.

O teólogo frisa também as doutrinas e liturgias implantadas pelos “apóstolos contemporâneos” como fatos que implicam em descrédito a esses líderes: “Não podemos deixar de citar o festival de misticismo antibíblico praticado por muitos apóstolos contemporâneos, tais como: atos proféticos, novas unções, revelações extrabíblicas, maniqueísmo, manipulação e coronelização da fé através do conceito ‘não toqueis nos ungidos’, judaização do evangelho, sem falar do uso de roupas que eram usadas pelos sacerdotes do Antigo Testamento, estolas sacerdotais e etc.”.

Confira a íntegra do artigo “Porque eu não creio em apóstolos contemporâneos”, do teólogo Ruy Marinho, neste link.

Redação Gospel+

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

O Segundo Filho de Deus: Em novo filme de Renato Aragão, Jesus fracassou e Didi irá substitui-lo em “contos bíblicos”

 

O Segundo Filho de Deus: Em novo filme de Renato Aragão, Jesus fracassou e Didi irá substitui-lo em “contos bíblicos”

O humorista Renato Aragão, famoso pelo personagem Didi dos Trapalhões, vai estrelar um filme no qual viverá um suposto “filho de Deus”, enviado para cumprir a missão na qual Jesus teria falhado.

- Como Jesus veio à Terra e não conseguiu cumprir a sua missão, porque os homens não deixaram, Deus resolve mandar um segundo filho. Aí, sim, Ele cumpre a missão – explica Aragão sobre o roteiro do filme, segundo o site Padom.

A polêmica produção, intitulada “O Segundo Filho de Deus”, está sendo anunciada como tendo seu enredo será baseado em “contos bíblicos”, para contar a estória de que Jesus não cumpriu sua missão na terra, e por isso Deus envia o seu segundo filho para concluí-la.

Orçado em 8,1 milhões de reais, o filme será dirigido por Paulo Aragão, e será o 49º filme da carreira do comediante, que é também escritor, diretor e produtor.

Como escritor, Renato Aragão escreveu recentemente seu primeiro romance “Amizade Sem Fim”. Com claras alusões ao espiritismo, o livro conta história do jovem empresário Ely, que abre a mão de sua fortuna para empreender uma busca interior, recorrendo à regressão hipnótica, através da qual acaba descobrindo que numa de suas vidas passadas, foi amigo íntimo de Jesus Cristo.

- Até pensei em fazer regressão para escrever sobre o assunto com mais consciência, mas ficou só na vontade. No final das contas, pensei: ‘Ah, não vou entrar nessa não! – disse Renato sobre o livro.

Redação Gospel+

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Jornalista exalta “decência” de ateus e critica “bandidos crentes em Deus”. Assista na íntegra

 

Jornalista exalta “decência” de ateus e critica “bandidos crentes em Deus”. Assista na íntegra

O jornalista Luiz Carlos Prates comentou durante um telejornal de uma das afiliadas do SBT, um estudo realizado por pesquisadores de psicologia da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, envolvendo a felicidade.

De acordo com o estudo, os principais requisitos para a felicidade é ser religioso, ganhar o equivalente R$ 6.800,00, ser diplomado, possuir um plano de saúde, ser casado e ter filhos.

O comentarista argumentou contra o relatório do estudo feito pelos pesquisadores usando como ilustração a notícia de que um mordomo do Papa vazou documentos que revelariam escândalos de corrupção no Vaticano.

A ênfase do contra-argumento de Prates foi na suposição de que não se encontram ateus entre bandidos, citando um estudo que pesquisadores da mesma universidade nos Estados Unidos realizaram anos atrás entre presidiários. Segundo o jornalista, na ocasião, não foi encontrado nenhum detento que não acreditasse em Deus.

Em sua crítica aos religiosos, Prates citou os escândalos da Igreja Católica como exemplo de falta de decência: “Eu não conheço um ateu que seja bandido. A grande religião é a proposta de uma ética de conduta que não transija. Aí está o bom samaritano”, afirmou, fazendo referência à passagem bíblica do homem que encontrou um semelhante ferido e o ajudou.

Para o jornalista, a prática de bons atos e uma conduta irretocável são mais importantes que a religião: “[Os religiosos] são aquilo a quem o Cristo se referiu: sepulcros caiados. Religiosos de uma figa por fora, pútridos por fora”.

Assista à integra do comentário no vídeo abaixo:

Redação Gospel+

Placa com os dizeres “Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo” pode ser demolida por causa de representação feita por ateus

 

Placa com os dizeres “Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo” pode ser demolida por causa de representação feita por ateus

Na entrada da cidade de Sorocaba, na lateral da alça de acesso da Avenida Dom Aguirre à rodovia Senador José Ermírio de Moraes (Castelinho), quem chega à cidade é recepcionado com uma placa que traz os dizeres “Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo”, mas esse marco pode ser demolido por causa de ação movida por ateus.

Os estudantes de direito Ricardo dos Santos Elias e Henrique Pinheiros da Silva apresentaram pedido à Promotoria de Habitação e Urbanismo de Sorocaba para que seja apurada a constitucionalidade do monumento. Eles alegam que a instalação do marco pela prefeitura, em 2006, estaria ferindo o princípio de laicidade do estado.

De acordo com o Diário de Sorocaba, os estudantes alegam que a Prefeitura de Sorocaba incorre na prática de condutas em desacordo ao ordenamento jurídico do País, e invocam o artigo 19 da Constituição Federal que proíbe a União, o Distrito Federal, os Estados e os Municípios estabelecer cultos religiosos ou subvencionar, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança.

Segundo os estudantes o ato do poder público em autorizar a instalação do monumento constitui flagrante de desrespeito à laicidade do Estado e à diversidade religiosa e questionam: “Se Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo”, como ficam os ateus, os animistas, os agnósticos, os muçulmanos, os hinduístas, os budistas, os judeus, e tantos outros que não professam à fé cristã?”.

O promotor de Justiça Jorge Alberto de Oliveira Marum instaurou procedimento preliminar, e para apurar junto à Prefeitura da cidade se a área na qual o monumento está instalado é pública ou particular. Se for particular, Jorge Marum exige informação se existe título de permissão ou cessão. O ato do promotor visa também verificar o valor gasto pelo poder público com o monumento.

Redação Gospel+

Menina cristã de 11 anos com síndrome de down pode ser condenada à morte por blasfêmia

 

Menina cristã de 11 anos com síndrome de down pode ser condenada à morte por blasfêmia

No Paquistão, mais uma acusação contra um cristão pode terminar em morte, desta vez, Ramsha, uma menina de apenas 11 anos, foi acusada de blasfêmia, por ter rasgado 10 páginas do Alcorão. Segundo as autoridades policiais, a garota, que é analfabeta e teria síndrome de down, mesmo com muita dificuldade para falar declarou que não sabia se tratar do livro sagrado dos muçulmanos.

De acordo com a lei paquistanesa, o crime de blasfêmia é punido com a pena de morte, mas, um comunicado da presidência do Paquistão argumentando sobre a impossibilidade de Ramsha compreender o conteúdo do livro, por não saber ler, pode ser uma chance para que a garota escape da condenação, cuja pena máxima é a execução.

Após a divulgação do caso, aproximadamente 150 pessoas se dirigiram ao bairro cristão onde a Ramsha mora para protestar, a multidão ameaçou queimar a menina por causa de seu ato. Assustados, centenas de famílias cristãs fugiram do local temendo o ataque dos manifestantes. Porém, a polícia conseguiu deter a ação dos agressores.

Asif Ali Zardari, presidente do Paquistão, solicitou que o Ministério do Interior investigasse o caso com urgência, ressaltando que as minorias do país devem ser protegidas “de qualquer uso errôneo da lei da blasfêmia”. De acordo com informações veiculadas pelo Daily Mail, a acusação contra a menina Ramsha pode ser retirada tão logo haja apuração sobre o caso, assim como quando diminuir a cólera da população.

Embora o governo paquistanês esteja dando atenção ao caso, ativistas de direitos humanos têm denunciado a utilização da lei da blasfêmia como elemento de intolerância religiosa, quando ela é manipulada pelos grupos maiores, predominantemente muçulmanos, para perseguir grupos menores, como os cristãos, que atualmente representam pouco mais de 1% da população do país.

Redação Gospel+

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Está pronto para votação projeto da senadora Marta Suplicy que inclui união civil de casal homossexual no Código Civil

 

Está pronto para votação projeto da senadora Marta Suplicy que inclui união civil de casal homossexual no Código Civil

O projeto de autoria da senadora Marta Suplicy (PT-SP), que altera o Código Civil para reconhecer a união estável entre casais do mesmo sexo, e para possibilitar a conversão dessa união em casamento, já está pronto para ser votado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Hoje, o Código Civil (Lei 10.406/2002) só reconhece como entidade familiar os relacionamentos entre homem e mulher. Com o projeto (PLS 612/2011), a senadora busca reconhecer “a união estável entre duas pessoas, configurada na convivência pública, contínua e duradoura e estabelecida com o objetivo de constituição de família”, dando assim respaldo para o reconhecimento de relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo.

De acordo com informações da Agência Senado, a proposta de Suplicy determina também que a união estável “poderá converter-se em casamento, mediante requerimento formulado pelos companheiros ao oficial do Registro Civil, no qual declarem que não têm impedimentos para casar e indiquem o regime de bens que passam a adotar, dispensada a celebração”.

Desde 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) já reconhece o direito de formalização da união entre casais homossexuais, mas a senadora afirma que a segurança jurídica em relação a esse tipo de caso só se dará plenamente com a previsão do direito no Código Civil, como pleiteia em seu projeto, opinião compartilhada também pelo relator na CCJ, senador Roberto Requião (PMDB-PR).

Redação Gospel+

Fundador da “Igreja da Unificação” “Reverendo Moon”, na Coréia do Sul está internado em estado grave

 

Fundador da “Igreja da Unificação” na Coréia do Sul está internado em estado grave

O fundador e líder da igreja da Igreja da Unificação, da Coréia do Sul, o reverendo Sun Myung Moon, de 92 anos, foi internado em estado grave no início da semana, e está passando por um tratamento intensivo contra pneumonia.

Segundo os relatórios médios, o estado é saúde do reverendo é grave. Ele está respirando através de aparelhos e corre risco sérios riscos de vida. Devido ao estado de saúde do líder religioso, a Igreja da Unificação conclamou 40 dias de oração e um jejum de três dias em favor da sua recuperação.

Considerada uma seita por muitos de seus críticos, a Igreja da Unificação, foi criada por Moon em 1954. A denominação religiosa logo se tornou uma igreja multibilionária e um gigante império empresarial que inclui o jornal Washington Times e do New Yorker Hotel, em Manhattan. Controverso, Moon chegou a ficar preso em uma prisão federal nos Estados Unidos nos anos 80 por sonegação de impostos. “Virulentamente anticomunista”, ele foi preso também na Coréia do Norte, durante a Guerra da Coréia antes de ser libertado pelos aliados.

Sua igreja diz que Jesus era divino, mas que ele não é Deus, uma posição que coloca a Igreja da Unificação fora dos limites do cristianismo tradicional, e seus seguidores o consideram como o messias que está completando a salvação que Jesus Cristo deixou de fazer.

De acordo com a CNN, a pública do reverendo foi no mês passado, quando ele participou da abertura e encerramento do torneio de Futebol Peace Cup Soccer, patrocinado pela Igreja da Unificação na Coréia do Sul.

Redação Gospel+

“Estado de Israel será removido da geografia mundial”, afirma líder iraniano

 

“Estado de Israel será removido da geografia mundial”, afirma líder iraniano

Em um encontro com veteranos de guerra entre Irã e Iraque, o líder supremo da revolução iraniana, Ali Khamenei, afirmou que o Estado de Israel “será removido da geografia mundial” e que o território que ele ocupa atualmente será “devolvido a nação palestina”.

- Os sionistas (israelenses) e seus apoiadores querem apagar da consciência mundial o conflito palestino, mas o mundo islâmico vai resistir a este plano – afirmou ainda Khamenei durante o encontro, que foi realizado na ultima sexta feira do mês do jejum muçulmano o ramadã, às véspera do chamado “Dia de Jerusalém”.

O Irã não reconhece a existência do Estado de Israel, chamada por ele de “entidade sionista”.

Segundo o site Acontecer Cristiano, o líder iraniano afirma ainda que a revolução iraniana, que levou à criação da República Islâmica, é um “obstáculo histórico nos esforços dos poderes hegemônicos (os EUA e seus aliados ocidentais) para esquecer a questão da ocupação da Palestina”. Ele afirma ainda que sem a interferência ocidental do Oriente Médio “guerras e conflitos nunca teriam ocorrido”.

- A terra islâmica, longe de qualquer dúvida, será devolvida à nação palestina, e a falsa glândula inventada do sionismo será removido da geografia mundial – completou Khamenei, que culpou as potências de conspirar para criar o Estado de Israel sobre o território que reivindicam como Palestina.

O Estado de Israel já está se organizando para se proteger de possíveis ameaças por parte da Primavera árabe. Em Jerusalém, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu realizou uma reunião com todo o seu gabinete para discutir uma estratégia de defesa do país para os próximos cinco anos.

- Devemos estar preparados para as mudanças e ameaças que são dirigidos contra o Estado de Israel. Temos de garantir que, sob condições de mudança, continuará a segurança que os israelenses têm desfrutado nos últimos três anos e meio – declarou o israelense.

Redação Gospel+

Projeto SóRir: voluntários promovem brincadeiras para crianças em hospitais

 

Projeto SóRir: voluntários promovem brincadeiras para crianças em hospitais

O projeto SóRir atua em hospitais da cidade de Curitiba, levando bom humor e distração para crianças que passam por tratamentos.

Durante essas atividades, o grupo responsável por manter o projeto funcionando aproveita para evangelizar crianças e funcionários dos hospitais em que atuam.

Entre os planos do projeto estão a possibilidade de estender as atividades para adultos e abrir novas frentes de atuação junto às crianças.

Confira abaixo, nosso bate papo com Maria Talita Deunísio, uma das integrantes do projeto SóRir:

Quais as áreas de atuação e público alvo do projeto?

Atuamos em cinco hospitais de Curitiba, totalizando 8 alas dentro deles. Nossas atividades acontecem todos os sábados. Nosso foco são as crianças, brincar, cantar, evangelizar e inovar. Claro que acabamos brincando também com pais e com todo o pessoal que trabalha no hospital, como enfermeiros, médicos, cozinheiras, seguranças e tantos outros. Se um dia tivermos pessoas suficientes, é possível aumentar o atendimento do projeto para adultos, mas ainda temos muito chão para, só no pequeno príncipe ainda temos muitas alas para iniciar. Além disso, temos um braço do projeto no Acre, sim, ele existe! Temos um grupo grande lá que trabalha no hospital localizado em Rio Branco.

Qual o tempo de atuação do projeto? Poderia contar um pouco da história, como surgiu, quem idealizou?

O projeto começou no final de 2005, infelizmente a data exata se perdeu com o tempo, mas estimamos ser no início do mês de novembro. O fundador do projeto a SóRir foi o Higor Reis, na época membro da Terceira Igreja do Evangelho Quadrangular, ele ficou conosco na liderança do projeto até julho de 2009, quando o nosso atual líder, Ricardo Henrique Luciano assumiu. Porém sabemos que o verdadeiro idealizador do projeto foi Jesus Cristo, que nos ensinou a visitar os enfermos e praticar a caridade.

A sementinha do projeto, a ideia de iniciar um ministério de evangelização em hospitais, utilizando o artifício do palhaço brotou no coração do nosso fundador enquanto assistia o filme do Path Adams. Ele conta que sentiu o Espírito Santo falando com ele, se uma pessoa com apenas boa vontade pode fazer tudo isso, o que Ele poderia fazer através dos seus filhos, cheios da Sua graça.

Quais os parceiros que o projeto possui?

O projeto é interdenominacional, então nossos primeiros parceiros são as igrejas de cada membro, que os libera para trabalhar nesse ministério de evangelismo. Além disso temos alguns amigos do projeto que nos ajudam com materiais para divulgação e artes, como por exemplo o cartonista TADAO, que gratuitamente fez caricaturas para todos os doutores do projeto. O grupo de bonecos da Ysa e do Elton (www.eybonecos.com.br) que já nos deu oficinas para a manipulação de Muppets, e inclusive já participaram conosco nas visitas.

Poderia contar um ou mais testemunhos de pessoas que foram beneficiadas pelo projeto?

Cada pessoa que recebe a visita dos doutores palhaços do Projeto SóRir é, de alguma forma, beneficiada. Desde os funcionários aos pacientes, pois entramos com o objetivo de mudar o ambiente. Num hospital o clima é pesado, é delicado e triste, um ambiente de dor e medo. Nosso objetivo como palhaços é entrar no hospital para ver tudo de forma diferente, para aliviar este clima, para transformar lágrimas em riso. Portanto é muito bom para quem está nesse ambiente chegar alguém ali que não está preocupado com o seu machucado, não quer saber o que o médico falou, só está ali pra conversar, falar do tempo, cantar uma música e tirar, pelo menos por um tempo, os problemas da cabeça. É difícil dar um depoimento específico, pois são muitas pessoas dentro do hospital, e muitas vezes em um dia estão lá, e no próximo sábado já foram. Muitas crianças aceitaram Jesus conosco antes de falecer. Portanto, nós apenas guardamos nos nossos corações cada sorriso e agradecimento que recebemos. Muitas vezes as mães vem para nós e dizem “Ele não tinha dado nenhuma risada desde que chegou aqui!”, ou “Até vocês chegaram ele estava chorando!”.

Quais as formas de contribuição e necessidades do projeto?

Principalmente, precisamos de pessoas comprometidas para colocar a mão no arado conosco. Como falamos nossas atividades acontecem todos os sábados, e não são todos que estão dispostos a reservar um período no seu sábado para o evangelismo infantil. Outra coisa que nos é muito valiosa são treinamentos para melhorar nossas técnicas. Desde maquiagem, abordagem, malabares, contação de história, instrumentos… Tudo que pode nos ajudar a melhorar a qualidade do nosso trabalho dentro dos hospitais. O dinheiro que recebemos (das mensalidades dos membros, e eventuais doações) utilizamos para investir no nosso grupo,e em materiais para o projeto (jalecos, folders, site, etc).

Gostaria de deixar uma mensagem para os leitores?

Acreditamos que o amor pelo próximo é algo que precisamos viver, não apenas falar, mas fazer. Como Jesus fez (e faz), dedicar tempo para amar. Se doar pelo outro. É isso que estamos fazendo, seguindo o exemplo de Jesus, levando o amor e a salvação dEle. não importa o quê ou como você faz, mas importa que faça!

Obrigada!

Confira fotos do Projeto SóRir:

Para mais informações sobre o Projeto SóRir, acesse o site projetosorir.com.br ou entre em contato através do e-mail contato@projetosorir.com.br .

Redação Gospel+

Pesquisa aponta que grande parte dos cristãos evangélicos não falam de sua fé para os não cristãos

 

Pesquisa aponta que grande parte dos cristãos evangélicos não falam de sua fé para os não cristãos

Um estudo realizado entre cristãos que frequentam uma igreja regularmente apontou que uma grande parcela dos evangélicos não compartilha sua fé com os não cristãos. Realizada pela LifeWay Research para analisar oito atributos da maturidade dos cristãos evangélicos, a pesquisa traz dados preocupantes sobre a postura dos cristãos.

A pesquisa mostrou que a grande maioria não falou sobre como se tornar um cristão para um não cristão nos últimos seis meses. De acordo com o levantamento, 80 por cento daqueles que frequentam a igreja protestante, uma ou mais vezes por mês, acreditam que têm uma responsabilidade pessoal em compartilhar sua fé. Porém, 61 por cento desses cristãos não tem o compromisso efetivo em falar de Jesus a outra pessoa.

De acordo com a LifeWay Research, entre os oito atributos evidentes e marcantes na vida dos crentes, o “Partilhar a Pessoa do Senhor Jesus” com outras pessoas tem a menor pontuação média entre os entrevistados das igrejas protestantes.

Três quartos dos fiéis dizem que se sentem confiantes em sua capacidade para comunicar eficazmente o evangelho, enquanto 12 por cento dizem que não se sentem confortáveis contando aos outros sobre sua fé, apesar de a maioria deles dizer acreditar que é seu dever compartilhar sua fé.

Outra pergunta feita pela pesquisa foi sobre quantas vezes os cristãos fizeram convites pessoais para uma pessoa participar de um culto ou alguma programação em sua igreja. Trinta e três por cento das pessoas disseram ter convidado uma ou duas vezes, 19 por cento disseram ter feito isso em três ou mais vezes nos últimos seis meses, e 48 por cento disseram não ter feito nenhum convite do tipo no período.

- Na realidade as pessoas que já são cristãs há mais tempo não têm experiências novas relacionadas ao evangelho do que os cristãos novos convertidos. Assim os novos cristãos acham natural compartilhar sua nova experiência, e os cristãos maduros muita das vezes fazem este compartilhamento com intenção e não simplesmente só por testemunhar – afirmou o responsável pela pesquisa Ed Stetzer da LifeWay Research.

Redação Gospel+

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Daniel Rocha, ator que faz “Roni” em Avenida Brasil revela ser evangélico, mas diz que faria beijo gay

 

Daniel Rocha, ator que faz “Roni” em Avenida Brasil revela ser evangélico, mas diz que faria beijo gay

O ator Daniel Rocha, que interpreta o personagem Roni na novela Avenida Brasil, da TV Globo, concedeu entrevista em que revelou sua origem evangélica e atividades praticadas antes da oportunidade na televisão.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Filho de pastor e ainda membro da Assembleia de Deus, o ator afirmou que o envolvimento com as artes vem da infância: “Fui criado na igreja, meu pai sempre gostou de que eu e meu irmão (Thiago, de 24 anos) fizéssemos atividades culturais. Eu tinha 5 anos, doido para ir ao McDonald’s, e era levado para a Sala São Paulo para assistir a concertos. Vi alguém tocando violino e gostei. Meu irmão toca sax. Creio numa coisa, tenho fé nisso, mas não misturo com a profissão . Tenho cabeça aberta. O que tiver que fazer, eu faço”, ressaltou o ator na entrevista concedida ao site do jornal O Globo.

Seu personagem na novela é um rapaz casado, mas que deixa dúvidas sobre sua sexualidade. Daniel afirma que não sabe o que o autor pretende para o papel, mas mesmo sendo evangélico, diz que não se recusaria a protagonizar uma cena de beijo gay: “Eu não sei o que o João Emanuel pretende fazer. Mas, para mim, como ator, é bem mais interessante que Roni fique com Leandro. E se rolar o beijo gay, faço, por que não? Sem problemas. Sou ator”, pontua.

Daniel Rocha afirma que prefere trabalhar assim, sem saber todos os detalhes sobre o personagem, para emprestar mais humanidade ao papel: “Acho interessante o ator trabalhar assim, sem saber se é ou não é. Porque o ser humano não é uma coisa só. Você nunca é aquilo, é muito mais. Dostoiévski puro”, afirmou, mencionando o escritor romancista russo.

Antes de atuar na televisão, o ator paulistano praticou teatro por quatro anos no Centro de Pesquisa Teatral (CPT), sob o comando de Antunes Filho, diretor conhecido no meio. Uma semana antes de ser convidado para a novela, abandonou o teatro por um desentendimento com o diretor. Daniel revela que a carreira de artista é difícil: “Ser artista no Brasil é quase impossível. Você estuda, estuda e vai fazer o teste com gente sem preparo, porque hoje qualquer um tem o registro para atuar. Qualquer pessoa é ator, poucos são artistas. E você começa a se revoltar. No Brasil não tem uma boa escola técnica de formação como há na Inglaterra. O brasileiro é bom ator porque se joga. Eu me acho um canastra (risos). Mas tenho ouvido muitos bons conselhos do Otávio e do Thiago. Tento não comprometer”, revelou.

O ator revelou ainda que não se parece com o personagem que interpreta: “Não sou certinho como o Roni, sou bagunceiro e desorganizado. Mas não bebo e não fumo”.

Redação Gospel+

Estreia nos cinemas do Brasil o filme “A Tentação” onde marido cristão é o vilão e amante ateu da esposa é o mocinho

 

Estreia nos cinemas do Brasil o filme “A Tentação” onde marido cristão é o vilão e amante ateu da esposa é o mocinho

Nessa sexta feira estreou nos cinemas brasileiros o filme “A Tentação”. Escrito e dirigido pelo cineasta inglês Matthew Chapman, de 62 anos, o filme conta a estória de um ateu que se envolve com a esposa de um cristão fanático, romance que o leva ao parapeito de uma janela, de onde ameaça se jogar, para salvar a vida de sua amante.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O diretor inglês é tataraneto de Charles Darwin (1802-1882), criador da Teoria da Evolução, e é conhecido por escrever livros sobre religião e por assinar reportagens sobre casos que envolvem fanatismo religioso.

Chapman, que já foi indicado para o prêmio Framboesa de Ouro de pior roteiro por “A Cor da Noite”, com Bruce Willis, conta que sofre varias críticas por causa de seu posicionamento ideológico, mas que quis retratar nesse filme o conflito entre m religioso e um ateu.

- Nunca vi um filme que jogasse um americano crente [a Deus] contra outro descrente. Eu queria mostrar esses pontos de vista – explica o diretor e roteirista, que disse à Folha de S.Paulo que, por causa do filme, tem recebido “cartas raivosas” de cristãos.

Morando em Nova York há mais de 20 anos, o inglês afirma que não imaginava o quanto as teorias do tataravô fossem tão rebatidas nos Estados Unidos, e que chegou a ser chamado de demônio por um pastor, por ser descendente de Darwin.

- Os Estados Unidos são duas nações. Uma sofisticada e intelectual, que podemos chamar de “A América de Woody Allen”. E outra que é povoada por homens da caverna – opina o diretor.

Redação Gospel+

Programa Na Moral, com Pedro Bial, leva Mr Catra e Sarah Sheeva para falar sobre infidelidade: “Para Deus pode tudo”. Assista ao vídeo!

 

Programa Na Moral, com Pedro Bial, leva Mr Catra e Sarah Sheeva para falar sobre infidelidade: “Para Deus pode tudo”. Assista ao vídeo!

A edição desta quinta-feira, 09 de Agosto, do programa Na Moral, apresentado por Pedro Bial na TV Globo, tratou do tema infidelidade e entrevistou em vídeo a pastora Sarah Sheeva, idealizadora do Culto das Princesas.

Na introdução, o apresentador questionou sobre a fidelidade: “Cada mulher é de um homem só? Cada homem é só de uma mulher? Ou pelo menos um de cada vez?”.

Culto das Princesas

Pedro Bial visitou uma edição do culto, com a presença de mais de mil mulheres, e no tempo em que teve sua presença permitida, gravou parte dos conselhos de Sheeva às presentes e um coro, usado como grito de guerra: “Eu sou princesa, fora cachorrada!”.
O apresentador questionou a pastora sobre beijo antes do casamento, e Sarah Sheeva afirmou que “beijo é igual ferro [de passar roupa]: liga em cima e esquenta [embaixo]”, e esse seria o motivo da não recomendação do beijo durante o namoro e noivado.
Bial entrevistou mulheres que participaram do culto das princesas, e perguntou sobre o que fazer nos momentos de desejo. Uma das entrevistadas respondeu: “Joelho no chão… Senhor, ajuda!”, revelou a jovem.

Infidelidade

Entre os convidados do programa estavam o funkeiro conhecido como Mr. Catra, que atualmente possui quatro mulheres, o humorista Hélio de La Peña, e a atriz e humorista Ingrid Guimarães.
Questionado sobre a teoria do homem-príncipe, pregada pela pastora Sarah Sheeva, Mr. Catra afirmou que “É possível, pra Deus pode tudo”.

Já o humorista Hélio de La Penha afirmou não compreender a ideia de não transar antes do casamento: “Tem que fazer um test drive antes. E o Procon depois?”. A atriz Ingrid Guimarães seguiu a linha do raciocínio feminino sobre a questão: “Desde pequenininha já se idealiza o homem que não existe. O príncipe é uma marca. Se você parar para pensar nas histórias infantis, a Branca de Neve é uma coitada. [O príncipe] é uma idealização que a mulher faz do homem”, observou.
Sobre a questão da fidelidade, a atriz teorizou: “Não acredito em monogamia, acredito em acordo, e até para trair, tem que ter lealdade”.

Repercussão

No Twitter, a psicóloga Marisa Lobo protestou contra o tema do programa e os exemplos apresentados nele. “Essa porcaria de valores perversos. Quando vamos reagir a isso? Somos uma maioria calada e desunida. Ainda não aprendemos a gritar. Não sei nem o que pensar . Estamos voltando à zona literalmente de #sodoma e #gomorra . Isso é evolução? Prefiro ser fundamentalista então”, afirmou, estendendo seu protesto contra a emissora: “Mídias como a Globo pervertem de forma desleal a moral e a verdade humana. Estão condenando o homem,usando uma ‘aprisionante’ liberdade sexual”, escreveu.

Já o pastor e deputado federal Marco Feliciano, embora tenha reconhecido o talento do apresentador, repudiou o programa e o tema abordado na edição de ontem: “Boçal esse programa. Tão sem noção, o Na Moral do tal do Bial. Além de ser fútil tá ficando promíscuo. Ótimo jornalista, péssimo programa”, publicou.

Vídeo na íntegra: Programa Na Moral sobre infidelidade

Redação Gospel+

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Eleições 2012: Candidatos evangélicos poderão levar multa por propaganda em templos e recebimento de doações

 

Eleições 2012: Candidatos evangélicos poderão levar multa por propaganda em templos e recebimento de doações

Durante as eleições municipais deste ano, os candidatos evangélicos que quiserem contar com o apoio dos fiéis de suas denominações deverão observar a legislação para não incorrer em crime, e consequentemente ser processado pela Justiça Eleitoral.

De acordo com a Lei 9.504/97 e o artigo 13 da resolução 22.718/2008, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a propaganda eleitoral é proibida nos templos religiosos, seja ela feita através de meio impresso ou verbal. A desobediência a essa determinação pode resultar em multa.

A lei eleitoral proíbe qualquer tipo de propaganda em espaços privados de uso comum, categoria em que se enquadram os templos e propriedades das igrejas, como o pátio, prédios anexos, salas de secretaria, berçários ou espaços de estudos.

 

Carros de Som

A veiculação de jingles políticos de candidatos a vereador e a prefeito também não é permitida numa distância inferior a 200 metros de igrejas durante o horário em que esteja funcionando, seja em horário de culto, escola dominical, reuniões de oração, etc., de acordo com a resolução do TSE.

 

Cultos

Os candidatos podem participar dos cultos, subir ao púlpito e usar a palavra, desde que isso não configure propaganda eleitoral e que não haja pedido de votos nesses locais. Orações por esses candidatos também podem ser feitas, desde que as palavras usadas nessas orações não incorram em nenhuma das situações descritas acima.

 

Doações

Aos candidatos é proibido fazer doações às igrejas, sejam em dinheiro ou objetos, a partir do momento de registro de sua candidatura até o término da eleição, de acordo com a Lei n.º 11.300, artigo 23, parágrafo 5. Os fiéis que desejarem fazer doações à campanha eleitoral de candidatos políticos poderão fazê-lo respeitando o limite de 10% dos rendimentos brutos registrados no ano anterior à eleição. Esse limite cai para 2% em casos de pessoas jurídicas.

 

Internet

A propaganda eleitoral através da internet é permitida aos candidatos, e a partir do dia 06/07 esse tipo de comunicação foi liberada. No entanto, os candidatos estão proibidos de veicular qualquer anúncio de propaganda eleitoral em sites, perfis de redes sociais, blogs, sites gospel, entre outros. Só é permitido o uso da internet para propaganda através de sites, blogs e perfis em redes sociais exclusivos para a campanha, e previamente cadastrados junto à Justiça Eleitoral.

Os candidatos podem ainda, enviar propaganda via e-mail a pessoas que voluntariamente tenham cadastrado seus endereços de correio eletrônico em uma lista disponibilizada para esse fim.

 

Rádio e TV

As igrejas que possuem programas em emissoras de TV ou rádio não podem veicular propaganda a favor de candidatos nesses espaços. Os candidatos que apresentam ou participam de programas em emissoras de TV ou de rádio também ficam proibidos de permanecerem exercendo tal atividade após o final da convenção partidária.

 

Denúncias de crimes eleitorais

Qualquer eleitor pode, ao verificar o descumprimento dessas regras, denunciar o candidato infrator à justiça eleitoral, procurando o Fórum da cidade em que a infração for cometida. A denúncia pode ser feita de maneira simples, de forma escrita e com presença de testemunhas.

Redação Gospel+

Governo vai atrasar o “plano pró-gay” para não perder votos entre evangélicos e católicos, afirma jornalista

 

Governo vai atrasar o “plano pró-gay” para não perder votos entre evangélicos e católicos, afirma jornalista

Em função das eleições municipais desse ano, o governo federal estaria adiando o lançamento do Plano Nacional de Cidadania para Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transexuais. Isso é o que afirma o colunista do Estadão, Roldão Arruda, que alega que essa suposta desaceleração na agenda gay por parte do governo federal é uma manobra para não afastar os eleitores cristãos.

O jornalista afirma que assessores do governo haviam revelado a intenção do governo em adiantar o plano de políticas públicas em favor dos homossexuais, mas que esse plano agora se encontra estagnado por causa da proximidade com as eleições. Segundo ele, a proposta que estava prevista para ser lançada entre os meses de agosto e setembro agora não tem mais prazos definidos.

- Em maio, assessores envolvidos na elaboração da proposta haviam revelado que o Palácio do Planalto estava disposto a acelerar o processo e que o prazo de lançamento, previsto para dezembro, poderia ser adiantado para agosto ou setembro. Agora, porém, não se fala mais em prazos – relata.

De acordo com Roldão, no último mês a proposta foi discutida e aprovada em um conselho nacional ligado à Secretaria de Direitos Humanos, de onde seguiu para a Casa Civil da Presidência da República e, de lá, para os 18 ministérios que participarão das ações, que têm até setembro para apresentar suas propostas de orçamento para a pauta.

Roldão afirma que com essa redução de ritmo o lançamento do projeto pode vir a acontecer em dezembro, ou até mesmo no próximo ano. Ele aponta que esse adiamento tem por motivação cativar os eleitores evangélicos e católicos nas eleições municipais desse ano.

- O que preocupa o governo agora são as eleições municipais e suas articulações políticas. Elas envolvem, é claro, grupos ligados a igrejas evangélicas, cada vez mais presentes na cena eleitoral e, na maioria das vezes, contrários às reivindicações dos gays. Só em São Paulo, 15 pastores vão concorrer a cadeiras na Câmara dos Vereadores – critica o jornalista.

Redação Gospel+

Psicólogos cristãos recebem notificação do Conselho Regional de Minas Gerais para retirar de seu site referências à fé cristã

 

Psicólogos cristãos recebem notificação do Conselho Regional de Minas Gerais para retirar de seu site referências à fé cristã

As relações entre os psicólogos cristãos e os conselhos regionais de psicologia voltaram à tona com uma determinação que o Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos (CPPC) recebeu da Comissão de Orientação e Fiscalização do Conselho Regional de Psicologia (CRP) de Minas Gerais.

De acordo com o site Verdade Gospel, na notificação oficial, o CRP exigiu que o fossem retiradas do site da associação as palavras: “Psicólogo”, “Cristão” e “Psicologia Cristã”, como também informações sobre os profissionais associados, sob pena de serem penalizados, inclusive pelo Conselho Federal de Psicologia.

Porém, no site do CPPC, o grupo afirma que não defende a existência de uma psicologia cristã, mas sim que cristãos pratiquem a psicologia, sem negar sua fé.

- Acreditamos que não é adequado falar que praticamos “Psicologia Cristã/Psiquiatria Cristã”, como se fosse uma ciência diferente da que aprendemos nas universidades. Não é. O diferencial nesse caso somos nós, as pessoas que a praticam, nós é que somos cristãos – afirma o site.

Essa situação é semelhante à sofrida recentemente pela psicóloga Marisa Lobo, que foi pressionada a retirar de seu site e perfis em redes sociais termos que relacionassem o exercício de sua profissão como psicóloga com sua fé cristã.

O CPPC afirma que a questão foi discutida na Diretoria Nacional e que junto com o Conselho Consultivo foi buscada assessoria de advogados para a questão. Agora, o Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos está aguardando o posicionamento do Conselho Regional sobre o assunto.

A legislação atual permite que Conselhos profissionais fiscalizem o exercício da profissão de psicólogo, mas não têm competência para controlar associações civis, como é o caso do CPPC.

Em comunicado aos associados da CPPC, inclusive os de Minas Gerais, o presidente da associação, Karl Kepler, pede serenidade.

- Que nos juntemos em oração, pois é só de Deus que depende o bom resultado desse confronto. Que Ele nos conceda a coragem para continuar como testemunhas da Verdade, inclusive sobre nossa fé, mas com a sabedoria e mansidão necessária para falar aos que não partilham dela – diz Kepler em nota.

Redação Gospel+