Me acompanhe pelo e-mail

terça-feira, 17 de maio de 2011

As tempestades

"Fizeste com que os homens cavalgassem sobre as nossas cabeças; passamos pelo fogo e pela água, mas nos trouxeste a um lugar de abundância." Salmos 66:1
 
Embora seja paradoxal, só conhece o descanso a pessoa que o obtém através do conflito.
 
Esta paz, nascida do conflito, não é como o silêncio de morte que precede o temporal, mas, sim, como a quietude serena que vem depois dele.
 
Geralmente não são as pessoas prósperas e que nunca sofreram, que são fortes e têm paz.  
 
Sua estrutura nunca foi testada, e essas pessoas não sabem como irão se portar ante o mais leve choque.  
 
O marinheiro mais seguro não é o que jamais viu uma tempestade; este servirá apenas para serviços de bom tempo; mas quando um temporal se forma, vai para o posto importante o homem que já lutou contra a tempestade marítima, que provou o barco, que lhe conhece a inteireza do casco, a estrutura dos cabos, as partes da âncora capazes de agarrar-se aos fundos dos oceanos.
 
Quando uma aflição nos atinge pela primeira vez, tudo cede terreno!  
 
As nossas esperanças, que à semelhança de gavinhas nos mantinham seguros, são arrancadas, e o coração se abate, como a parreira que a tempestade arrancou da latada.  
 
Mas, passando o primeiro choque, quando somos capazes de olhar para cima e dizer:  
 
“É O Senhor”, a Fé levanta mais uma vez suas esperanças partidas e liga-as fortemente aos pés de DEUS.  
 
Assim, o fim é confiança, segurança e paz.
 
As "Tempestades" são para nos fortalecer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário