Me acompanhe pelo e-mail

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Irã e Arábia Saudita investem em canais de TV para divulgar o islamismo na América Latina

 

Irã e Arábia Saudita investem em canais de TV para divulgar o islamismo na América Latina

Os governos do Irã e da Arábia Saudita estão investindo pesado na divulgação da ideologia muçulmana pelo mundo. Tanto que dois canais de TV acabam de ser lançados com o objetivo de divulgar o islamismo entre os falantes da língua espanhola.

Trata-se do canal estatal de televisão do Irã chamado Hispan TV e do canal Córdoba Televisión, administrada por uma fundação saudita extremista. Ambos contam com conteúdo muçulmano televisionado em espanhol, com o objetivo de alcançar a Espanha, América Latina e os latinos dos Estados Unidos.

O governo do Irã publicou uma nota oficial falando sobre a inauguração do Hispan TV na qual afirma: “A rede de TV iraniana abre uma janela para o país persa, berço de uma das civilizações mais antigas do planeta”. Sediada no Teerã, a programação da emissora apresenta noticiários, filmes, séries, documentários, reportagens, entrevistas e programas de análise política, social e econômica; todos produzidos sob a perspectiva islâmica.

Durante a inauguração do canal foi lido um documento que diz: “Nosso objetivo é reforçar o conhecimento, elevar a compreensão mútua entre as diferentes culturas e convidar os povos de diversas nações, raças e religiões que se conheçam uns aos outros, sem preconceito”. O primeiro programa exibido pelo canal iraniano foi um filme retratando a vida de Maria e o nascimento de Jesus a partir do ponto de vista islâmico.

A Córdoba Televisión, da Arábia Saudita, iniciou suas transmissões no primeiro dia de 2012. Segundo a CNN a emissora está sediada em Madri e seus transmissores estão instalados em dois galpões de um bairro da cidade, numa propriedade que pertence à “Fundação para a divulgação do Islã”, presidida pelo xeque Abdulaziz al Fawzan e conta com o respaldo e o financiamento da família real saudita.

A TV saudita conta com um grande número de jornalistas espanhóis convertidos ao islamismo. Deste modo, o canal divulgará uma visão wahabista (islã ultraconservador de origem saudita), uma ideologia que declara seu “ódio positivo” aos cristãos e justificar a marginalização da mulher nos países árabes.

Stephen Johnson, que dirige o Centro das Américas de Estudos Estratégicos e Internacionais, compara a utilização da mídia para melhorar a imagem de um país no exterior com o que o governo norte-americano fez com programas de rádio durante décadas.

Fonte: Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário