Me acompanhe pelo e-mail

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Técnico da Suíça reclama por ter de jogar Copa ‘na selva’ em Manaus


Ottmar Hitzfeld também reclama das grandes viagens pelo Brasil
Ottmar Hitzfeld também reclama das grandes viagens pelo Brasil



O técnico da seleção suíça, Ottmar Hitzfeld, está irritado por ter de disputar um jogo da Copa do Mundo deste ano “no meio da selva”, em Manaus, e descreveu o calendário do torneio como “quase irresponsável”. A Suíça, uma das cabeças-de-chave do Mundial, viajará a Manaus para seu último jogo pelo Grupo E, contra Honduras. O jogo contra a França também será em uma cidade quente, Salvador.

Falando à rádio alemã SWR, na quarta-feira (8), Hitzfeld atribuiu o calendário polêmico a interesses comerciais. “Em Salvador é muito quente, Manaus é pior ainda, porque você está jogando em um clima úmido e tropical, com 95 por cento de umidade, e uma temperatura entre 30 e 40 graus”, disse.

“Acho quase irresponsável que se jogue futebol num lugar desses no meio da selva, no meio da Amazônia… Acho que o lado comercial assumiu a precedência, e não estou de acordo com a Fifa”. Hitzfeld reclamou também dos longos voos. “O Brasil é um país grande, e você precisa voar por cinco horas… de Salvador a Manaus, e isso também é uma grande sobrecarga para nós”.

O treinador disse que a seleção da Suíça terá nas próximas semanas a assessoria de médicos, fisioterapeutas e outros especialistas para se preparar para a maratona. Antes de Hitzfeld, outros envolvidos já haviam se queixado das grandes distâncias a serem percorridas pelos times e pelo fato de alguns jogos estarem marcados para as 13h (hora local) em cidades onde o calor é intenso, mesmo durante o inverno brasileiro. O FIFPro, sindicato dos jogadores, esteve entre os queixosos.

A Suíça estreia contra o Equador, em Brasília, em 15 de junho. Enfrenta a França na Bahia, cinco dias depois, e em seguida viaja a Manaus para fechar a fase de grupos contra Honduras, em 25 de junho.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário